Terça-feira não foi o pior da vida do Sporting, nem foi o pior dia do meu sportinguismo. Cinquenta energúmenos entraram em Alcochete, bateram em jogadores e staff técnico e vandalizaram instalações do clube. Não me representam a mim, não representam o Sporting Clube de Portugal e não merecem qualquer respeito ou consideração. Por isso não alinho em andar pedir desculpa ao mundo pelo que aconteceu. Sinto que fizeram mal ao clube que eu amo e, por extensão, sinto-me atacado. Eles é que me devem a mim, a todos os sportinguistas e ao clube um pedido de desculpa.

Foi um acto criminoso, mas felizmente a maior parte dos animais foi apanhada e muito em breve vamos saber quem são e ter a oportunidade de, naquilo que nos diz respeito, lhes fazer justiça. Quero em Assembleia Geral votar a sua expulsão de sócios e de os proibir de voltar a entrar em instalações do Sporting. Seja no estádio, no Pavilhão ou naquele bocadinho de relva que há entre a gravilha e rede que delimita a Academia. Se se confirmar que fazem parte da Juve Leo quero a claque suspensa e proibida de entrar no estádio até haver certeza de que todos os indivíduos envolvidos directa e indirectamente nesta merda foram afastados. E não me venham com a conversa de que ninguém sabia de nada.

Lágrimas, sentimentos e velas
Ontem vi muitos sportinguistas chocados, de lágrimas nos olhos e a pedir desculpa ao mundo inteiro. Parecia que se tinha descoberto um terrorista num culto de pacifistas vegan. Não me fodam. Durante muito anos cultivou-se a ideia da superioridade moral dos sportinguistas em relação a adeptos dos outros clubes. Ser sportinguista não é “ser diferente”. Ser sportinguista é exactamente igual a ser benfiquista ou portista. Não somos nem mais espertos, nem mais sérios, nem mais bonitos, nem mais feios. Somos todos iguais. Por isso o que aconteceu ontem não fere a minha identidade enquanto sportinguista.

Eu já estive no topo no sul, junto às claques, aos ultras e ao pessoal que vê o jogo em tronco nu enquanto flecte os peitorais e os biceps. Temos lá muito animal jardado perfeitamente capaz de fazer o que aconteceu ontem e muito pior. Já me aconteceu estar na fila para entrar e ter de ficar a proteger uma agente da PSP de ser atropelada por 20 animais enraivecidos que queriam entrar a todo o custo para dentro do estádio. Portanto, aquele tipo de gente que ontem foi filmada de carapuço na cabeça e paus na mão eu já vi muitas vezes no estádio.

Teorias da conspiração
Circulou entre os sportinguistas e na comunicação social que a culpa do que se passou era directa ou indirectamente responsabilidade da direcção. Surgiram duas teses, a primeira é de que teria sido Bruno de Carvalho a encomendar esta agressão e a segunda de que seria o clima por ele gerado que teria promovido o que aconteceu. Na minha opinião são ambas absurdas.

Primeiro, o BdC não é criminoso nem arruaceiro e muito menos estúpido. O que aconteceu ontem não serve nenhum propósito, nem lhe facilita a vida nem lhe proporciona melhores condições para trabalhar. Segundo, a tese do “clima criado”. Ele tem sido crítico e duro com os jogadores e o treinador. Em maior ou menor escala todos nós entendemos o teor das críticas. Mas usar essas críticas para justificar que 50 arruaceiros invadiram a Academia e agrediram jogadores e outros funcionários é absurdo. É quase o mesmo que dizer que uma rapariga foi assediada porque ia de mini-saia.

O que aconteceu na terça é responsabilidade desses 50 indivíduos e de mais ninguém. Se querem aproveitar a oportunidade para mandar o homem embora, sabem bem o que podem fazer. Façam um requerimento a solicitar uma AG extraordinária para destituir os órgãos sociais. Já despachámos o Godinho Lopes assim, por isso é só repetir. Agora não me venham com merdas. Assumam que é isso que querem fazer, mas não se escondam atrás de 50 marginais. Não transformem um caso de polícia num caso desportivo.

A perspectiva dos rivais e ambiente geral
A comunicação social e os media por eles controlados estão a ter o melhor dia da vida deles. Hoje na banca de jornais vi sorrisos em todos os benfiquistas. As televisões ontem estiveram cheias de falsas manifestações de pesar. Cheias de tentativas de torcer a faca nas costas dos sportinguistas. Hoje na capa dum jornal vinha o BdC vestido de pirata. Ontem o José Manuel Freitas dizia que era o pior momento do futebol em Portugal. Vão todos pró caralho. Vocês estão colectivamente a rebolar-se de felicidade e a salivar com a perspectiva de verem o clube cair. Por isso, caros sportinguistas, se querem navegar esta onda, saibam ver de onde ela vem.

O problema
Na minha opinião o clube teve dois problemas.

– Problema 1 – o BdC passou-se da cabeça. Quem leu a entrevista ao Expresso ficou a saber que 1) foi alvo de denúncias falsas de pedofilia e violência doméstica, 2) teve uma hérnia, 3) síndroma vertiginoso, 4) a gravidez da mulher esteve em risco, 5) está com problemas na regulação da custódia da(s) filha(s), 5) foi alvo das mais horrendas e persistentes campanhas e difamação da comunicação social vermelha desde que se tornou presidente. Se acham que isto não justifica o comportamento errático, conflituoso e incompreensível que teve no início deste ano, então deixem-me dar-vos os parabéns terem uma vida idílica. A boa notícia é que parece ter ultrapassado essa fase e já está mais calmo.

– Problema 2 – não jogamos um caralho. O jogo na Madeira foi uma versão condensada do marasmo táctico que se vive. Não temos soluções tácticas para resolver nenhum problema, os jogadores estão cansados, saturados, sem ideias e completamente desorientados em campo. Não é um problema de atitude. Se o Arrifanense for a Camp Nou jogar com ou sem a faca nos dentes sai de lá goleado na mesma. A atitude competitiva dá aqueles 3 ou 5% que podem fazer a diferença a este nível mas não ganha por si só os jogos. Os jogos ganham-se com competência, criatividade e conhecimento. Nunca tivemos isso esta época. Tivemos bolas bombeadas para o Bas Dost, bolas metidas no Gelson e remates do Bruno Fernandes. O resto foi uma miséria.

As Soluções
– Chá de camomila para toda a gente.
– Reduzir a exposição a programas de TV com scripts feitos pela comunicação vermelha
– Ignorar boatos
– Ganhar a Puta da Taça.
– Jorge Jesus despachado para o raio que o parta.
– e isto:

KEEP-CALM-AND-CARRY-ON-POSTER-BR-GREEN2_large__36335.1320072240.600.600

ESTE POST É DA AUTORIA DE… Shark
*às quartas, a cozinha da Tasca abre-se a todos os que a frequentam. Para te candidatares a servir estes Leões, basta estares preparado para as palmas ou para as cuspidelas. E enviares um e-mail com o teu texto para atascadocherba@gmail.com