empresárioEscrevo para vos contar a minha viagem no inter-cidades entre Lisboa e o Porto. Com a greve, houve um downgrade do Alfa para o IC e ao meu lado sentou-se, nada mais, nada menos do que o empresário de um dos jogadores que rescindiu com o Sporting.

A conversa que tive com ele, em que fui fazendo perguntas, na qualidade de sportinguista, fica aqui resumida aos tópicos mais importante e com o maior rigor possível.

1.
Os jogadores rescindiram todos depois de uma longa hesitação do primeiro, Rui Patrício

2.
A decisão foi tomada com o conhecimento dos empresários e advogados dos mesmos

3.
Há uma equipa de dez ou 12 advogados a serem pagos a peso de ouro para defenderem os jogadores neste caso

4.
Rui Patrício ou William Carvalho já queriam sair há muito tempo, tal como Adrien Silva, e o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, nunca permitiu que chegassem a si propostas abaixo ou muito abaixo dos valores das cláusulas

5.
«Nós, enquanto empresários de jogadores, gostamos do Sporting e de toda a instituição, mas este presidente não permite que haja negócios regulares, como por exemplo vender jogadores anualmente a preços razoáveis. Em vez disso, prefere aguentar, qual Real Madrid, até que alguém bata a cláusula. Isso é altamente lesivo para nós, empresários, que não podemos ter um jogador em carteira durante cinco anos!»

6.
«O presidente Bruno de Carvalho é tão genial quanto louco. Primeiro, em qualquer reunião, está sempre dois dias ou três à nossa frente. Pensa mais adiante. Vê antes de todos. Mas depois é prepotente e autoritário. É um excelente gestor do clube. Mas não está a gerir bem os seus activos, os jogadores. Poderiam sair da academia ou da equipa por valores relevantes, anualmente, em vez de aguardar por super-vendas. Ele recusou-se várias vezes a ouvir propostas por William Carvalho, por 30 milhões de euros, os jogadores depois desvalorizam e ficam insatisfeitos e querem sair. Como agora.»

7.
Bruno Fernandes, poderia ficar mais um ano no Sporting e depois saía, mas mediante a situação, querendo ele sair e tendo propostas de Inglaterra (o mesmo clube que propôs compra do Rui Patrício)…

8.
«Os jogadores que não pedem rescisões é porque não tem mercado ou porque não vão encontrar melhor do que o Sporting. Já Bas Dost saiu porque percebeu, quando nós, agentes, dizemos aos nossos jogadores para olharem para o Braga que se está a reforçar, para o Benfica, que se esta a reforçar e para o Porto que está estável, que aquilo que vai acontecer na próxima temporada é um Sporting fraco e sem plantel. E então, mediante essa perspectiva, Bas Dost pensa duas vezes e resolve rescindir também.»

9.
Não se sabe se os jogadores irão ganhar o caso em tribunal. Se sim, abriria uma nova maneira de estar no futebol, mas algo aconteceu de facto na Academia

10.
Bruno de Carvalho tem razão quando diz que as cartas de rescisão são praticamente todas iguais, mas para quê inventar se a razão é a mesma? Estão muitos advogados a tratar do assunto, pagos pelos vários empresários dos jogadores

11.
Algo aconteceu na Academia, o presidente pode não saber de nada, mas alguém na instituição foi cúmplice. A justa causa passa por aí: alguém na instituição, logo, a instituição SCP deixou ou facilitou os actos de violência e terror. Só se se provasse que foi alguém que agiu em nome pessoal ou em conspiração poderia a justa causa cair por terra

ESTE POST É DA AUTORIA DE… Verde Lima
*às quartas, a cozinha da Tasca abre-se a todos os que a frequentam. Para te candidatares a servir estes Leões, basta estares preparado para as palmas ou para as cuspidelas. E enviares um e-mail com o teu texto para atascadocherba@gmail.com