“O treinador vai ser alguém que quando vocês souberem quem é, vão gostar muito!”… prometia o “amego” Cintra a toda a comunicação social em pleno auditório Artur Agostinho.

Cintra no fundo sabia o que dizia… foi o gaudio em toda a comunicação social! O treinador do Sporting, em plena crise de rescisões, era Peseiro! Peseiro, o homem que depois de sair do Sporting em 2005 tinha sido DESPEDIDO do Panathinaikos (44 Jogos, 29 Vitórias), Rapid de Bucareste (18J, 8V), da seleção da Arábia Saudita (19J, 7V), Al Wahda (43J, 21V), Porto (22J, 13V), Braga (23J, 11V), Al Sharjah (21J, 3V) e Guimarães (10, 4V).

Assim, o Sporting contratava um treinador que em 13 anos tinha sido despedido de 8 clubes, com um pecúlio de 200 jogos e 96 vitórias. Treinando cubes de referência nas suas competições internas, Peseiro conseguia uma confrangedora média de vitórias de 48% de vitórias e 52% de derrotas ou empates. Claro que a comunicação social entrou em êxtase e de repente, o “quase” sinónimo de derrota em toda a linha em 2015, tinha virado um estrondoso sucesso a ser repetido em 2018. Registe-se que em época e meia na primeira passagem de Peseiro por Alvalade saldou-se em 63 jogos e apenas 34 vitórias!

“Fizemos um bom jogo” dizia Peseiro antes de saber que ia ser despedido depois de uma derrota com o Estoril, em casa, para a Taça da Liga! O país parou… a injustiça era indigna do “novo” e simpático Sporting! Como pode? “Não deixaram Peseiro trabalhar”, “estava a fazer o trabalho possível”, “só tinha 4 meses de trabalho”, “estava somente a 2 pontos da liderança e nas taças” gritava o ribeiro cristovão, o pedro guerra, o pedro brás, os jornais, a associação de treinadores e metade dos treinadores portugueses, num misto de solidariedade com Peseiro e de preocupação com o futuro do Sporting.

Pelo meio, Peseiro juntava às dispensas de Geraldes, Matheus, Demiral, Palhinha, Domingos Duarte ou Doumbia, um futebol miserável, derrota com o Estoril em casa, derrota por 4 em Portimão, derrota em Braga, derrota com o Arsenal em casa sem fazer um único remate à baliza e um empate na lixeira onde Salin foi considerado unanimemente o melhor em campo, fazendo uma exibição e salvando-nos de mais uma derrota certa.

Veio o desconhecido Keizer e o mundo desabou…. Quem era o Keizer? Dispensa-se um treinador da melhor escola do MUNDO, a escola lusitana, para trazer o Keizer? Começaram-se a “afiar as facas” para mais uma vez enxovalhar o Sporting! Porém Keizer arranca com uma série de 7 vitórias consecutivas, com média de 4,3 golos por jogo e pulverizando assim todos os records para a estreia de um treinador em 112 anos de vida do clube!

A comunicação social baixou as orelhas, mas não deu grandes “hossanas” (o que diria se Lage conseguisse o mesmo com o carnide?, o midas tinha encontrado um novo mourinho); os treinadores portugueses dividiam-se entre “Keizer só está a aproveitar o trabalho deixado por Peseiro” ao estilo de Silas ou “mais tarde ou mais cedo Keizer vai ter muitas dificuldades” ao estilo de José Mota; os adeptos leoninos, esses, já diziam que Keizer deixava jj e peseiro a anos luz em competência e forma de estar e que finalmente tínhamos um futebol “champanhe” e um treinador à nossa imagem!

Pois bem… como alguém escreveu, e bem, na Tasca, “haja alguém que explique ao Keizer que os Tondelas não são os Vitesses desta vida”. Keizer ainda tem que entender que no Tugão é assim: se passa a bola não passo o homem e se passa o homem não passa a bola! É canela até ao pescoço e os árbitros são um tipo de deus hindu: cabeça de toupeira num corpo de padre!

Aos primeiros sinais de que Keizer ainda está a apalpar terreno, como em Guimarães e principalmente com o banco que apresentou em Tondela, os adeptos leoninos já tiraram o tapete a Keizer. Com o empate com o porto Keizer passa a ser “Keizeiro”, isto é, uma merda igual ao outro mas com um pormenor, Keizer é “cagão”, cobarde, teve medo! Hoje a comunicação social reforça que Keizer é igual a Peseiro em resultados e que Peseiro estava a 2 pontos da liderança e Keizer já vai a 8.

Vamos a factos.

Peseiro teve a pré época completa para preparar a equipa e fez 14 jogos… Keizer tem apenas 12 jogos e mês e meio de trabalho.
Se todos os jogos valessem 3 pontos (considerando como se a taça de Portugal valesse pontos), Peseiro conseguiria 28 pontos em 42 possíveis e Keizer alcançava os mesmos 28 pontos em apenas 36 possíveis, logo Peseiro tem uma média de 2 pontos por jogo e Keizer 2,33 pontos por jogo.
Peseiro teve 9 vitórias e 4 derrotas e Keizer 9 vitórias e 2 derrotas. Isto dá 64% de vitórias para Peseiro e 75% de vitórias para Keizer, assim como 29% de derrotas para Peseiro e 17% de derrotas para Keizer. (Não contabilizei os empates)
Peseiro marcou 24 golos e Keizer marcou 37 golos. Média de 1,7 golos para Peseiro e de 3,1 golos para Keizer. Agora a parte SURPREENDENTE, Peseiro sofreu 14 golos e Keizer 13. Média de 1 golo sofrido para Peseiro e de 1,08 golos sofridos por Keizer. Afinal parece que Keizer não defende pior que Peseiro já que a diferença de 0.08 golos por jogo é praticamente irrelevante.

Aaahhhh… “mas Keizer é um cobarde, já se viu que não tem tomates para jogar contra equipas grandes”! Vamos ver o histórico de Keizer na meia época que esteve à frente do Ajax. Com certeza que o cobardolas levou no focinho frente ao PSV, Feyenoord ou AZ Alkmaar. Vejamos: Feyenoord – Ajax (1-4), Ajax – PSV (3-0), Az Alkmaar – Ajax (1-2). 3 Jogos, 3 vitórias, 9 golos marcados e 3 sofridos, goleadas ao Feyenoord e PSV!

Em todos os planos Keizer ganha a Peseiro, menos na ínfima diferença de 0.08 golos sofridos por jogo.

Desmistificando a diferença de 2 pontos para a liderança de Peseiro e os 8 de Keizer, que culpa tem Keizer que desde que fez o primeiro jogo na liga (03/12) o porto leve 6 vitórias consecutivas só sendo parado por nós, a crise do Carnide seja cifrada em 6 vitórias e 1 derrota e mesmo o braga vá numa senda de 6 vitórias e 1 derrota? Alguém acredita que com Peseiro estaríamos melhor do que estamos hoje? A verdade é que sem os adversários perderem pontos, podemos golear todas as semanas que não chegamos lá. Peseiro perdeu pontos que se fartou, mas porto, carnide e braga também os perderam no início da época.

Eu também tenho críticas a fazer a Keizer, para mim Ristovski é muitíssimo superior a B. Gaspar, preferia ver Lumor como 2ª alternativa do que ver Jefferson a acumular minutos, não entendo como Geraldes ainda não teve minutos quando acho que é com competição eu se ganha ritmo e que Geraldes pode ser importantíssimo, não entendo a aposta em Miguel Luís quando para mim é inferior a Bragança ou Paz, não percebo como Raphinha e mesmo Jovane possam ser preteridos para jogar Diaby, não compreendo como só com um PL Luíz Phellype ainda não teve oportunidades. (Como gostaria de vê-lo estrear contra o porto. Estrear PL contra o porto tem dado sorte, os últimos chamavam-se Acosta e Liedson).

E não, não me choca a postura contra o porto no sábado. Claro que poderíamos sair a 5 pontos do líder, mas também poderíamos sair 11 e mais longe ainda do 1º e 2º lugar. Para além disso a equipa nunca mostrou superioridade, frescura ou inspiração para ir deliberadamente para cima do porto dando a ideia de ser o treinador a puxar as rédeas de forma a travá-la, como aconteceu com o ultimo jogo de jj frente ao carnide por exemplo! Claramente Keizer sentiu que, principalmente, o nosso meio campo estava esgotado fisicamente e que dificilmente iria conseguir encostar o porto as cordas para fazer um golo jogando de forma consistente e segura. Perferiu não partir o jogo e só futuramente se saberá se fez bem ou mal.

Todos sabem que eu fui dos maiores defensores de BdC na Tasca. Posso puxar os galões até, por ter sido se não o primeiro, dos primeiros a escrever de forma declarada que jj seria um dos principais coveiros de BdC. Posso detestar Rogério Alves, Varandas e todo o croquetismo novamente instalado! Agora, acho uma canalhice fazerem de Keizer (sim, com tudo o que Keizer MELHOROU) uma arma de arremesso contra Varandas! O treinador e o homem não merecem isso. Aposto que nem BdC acha de Keizer o que aqui se disse dele no sábado.

Eu lembro-me de Domingos chegar a Fevereiro a dizer que em 7 meses não teve tempo para mostrar trabalho. Keizer está há mês e meio em Alvalade. Tem que aprender que o Tugão é muito diferente da Eredivisie? Claro que sim! Contudo, tem dado sinais de que quando estiver devidamente ambientado ao futebol português possa ser um caso sério de sucesso! Acredito que depois de Guimarães e Tondela tenha aprendido algo, assim como espero que com as suas escolhas, a partir deste mercado de Inverno, possa fazer ainda mais e melhor. (Varandas disse que se o empréstimo obrigacionista corresse bem que reforçaria a equipa! Não correu a 100% mas foi um “sucesso”. A meio de Janeiro não estou nada entusiasmado com o reforço da equipa. Geraldes, Luís Phellype e quem sabe Idrissa Doumbia serão sempre segundas linhas).

Cá estamos nós para julgar Keizer em Maio de 2019 e (espero eu) em Maio de 2020. Agora, como se diz em bom português… comparar Peseiro a Keizer e principalmente o futebol implementado pelos dois é querer comparar “o olho do cú com as festas de Agosto”!

ESTE POST É DA AUTORIA DE… Lyonne
*às quartas, a cozinha da Tasca abre-se a todos os que a frequentam. Para te candidatares a servir estes Leões, basta estares preparado para as palmas ou para as cuspidelas. E enviares um e-mail com o teu texto para atascadocherba@gmail.com