Os últimos posts que o Cherba me permitiu ver publicados foram negros e sobre não ver caminho a percorrer. Foi sobre a falta de rumo do Peseiro e da equipa principal do Sporting. E ontem, ao ver o jogo do Braga, apeteceu-me escrever sobre um rumo!

Ontem, logo no pontapé de saída, dizia para o meu pessoal no estádio “Olha…trocou o Coates com o Ilori. Não que isso valha muito, as casas que ele dá tanto dá na direita como na esquerda…”. Mas depressa percebemos que afinal o Borja não estava a jogar a lateral mas sim como central esquerdo. Sendo eu um gajo que admira bastante as equipas do Conte (Juventus e Chelsea), fiquei logo entusiasmado! E rapidamente percebi que o sistema que estava em jogo era o 3x4x2x1 com que o Conte foi campeão no Chelsea, com Borja, Coates e Ilori no centro, Acuna, Wendel, Gudelj e Ristovky na linha média; B. Fernandes e Diaby atrás do Dost. O jogo foi muito bom, provavelmente o melhor da era Keizer, tendo em conta que eu não gosto nada da conversa “prefiro ganhar 3×2 do que 1×0” ou de ganhar 5×2 e que acho que esses resultados mostram que estamos muito perto de perder pontos. Então e vamos a isto…o que poderá ser este 3x4x2x1?!

Defensivamente é o abandonar definitivo da pressão alta. É uma equipa com demasiada gente atrás para fazer pressão alta. Defensivamente a equipa fica bem arrumadinha e há sempre compensações perto. Deixa de acontecer lances como com o Villareal em que o lateral (no caso Acuna) é passado pelo extremo e esse extremo fica com KM e mais KM para correr sozinho. O mesmo com os médios. Quando o Gudelj é ultrapassado ficam sempre em superioridade para os 2 centrais (normalmente 3 para 2 ou 4 para 3 se ainda sobrar 1 lateral). Ou seja, a equipa fica mais compacta e ocupa melhor os espaços defensivos. É resolver a incapacidade do Keizer de meter uma equipa a defender bem, metendo mais gente para tapar os buracos. É uma solução pouco elegante mas claramente parece-me a melhor.

Onde a porca torce o rabo é para a frente. Conseguirá uma equipa a jogar assim ser acutilante ofensivamente para os jogos do campeonato tuga? Eu acredito que sim. À imagem do que o Chelsea do Conte era, porque não era o Chelsea defensivo nos jogos contra as equipas mais pequenas. O primeiro ponto crucial é Borja (ou de quem jogar ali…vamos usar como base o 11 contra o Braga). É o Borja que se terá de soltar para provocar o desequilíbrio como lateral (da mesma forma que o Azpiliqueta fazia no Chelsea), jogando como falso lateral. Isso provoca uma superioridade numérica porque o extremo acompanha o ala muitas vezes (como faz com o lateral quando tem um lateral pela frente) e fica ali um espaço vazio para o Borja aproveitar.

Outra chave deste sistema é a dupla de meio campo. Essa dupla tem de ser capaz de construir, de sair a jogar de trás, mas também de se chegar e ocupar zonas mais ofensivas. Porque os 2 que jogam nas costas do PL vão abrir várias vezes na ala e o espaço que ficar no meio tem de ser ocupado por eles. E depois claro…os alas. Acuna e Ristovky têm de ser autênticas locomotivas, capazes de fazer de extremo e de lateral quando possível. Desta forma, e com as dinâmicas certas, penso que um sistema destes se torna no mais equilibrado. Parte mais o jogo entre defesa e ataque, dificulta preencher mais todas as zonas mas com boas dinâmicas permite atacar apoiado com muitos e defender apoiado com muitos. Impede as saídas com muitos para o contra-ataque mas ao mesmo tempo, como obrigou o adversário a meter muita gente na frente, muitas vezes há muito espaço para o s 3 ou 4 que conseguem sair.

E alternativas? Bem, aqui também acho que encaixa.

André Pinto morre para o jogo. Não é possível jogar com 1 central que não consiga sair a jogar. Em contrapartida melhora Petrovic, que constrói melhor e tendo sempre ajuda por perto a sua lentidão é menos penalizadora. Pode ainda fazer de falso médio a contruir. Depois claro, há Mathieu. Ainda por cima são posições pouco exigentes fisicamente, não precisamos de muitas alternativas. Mas ainda há mais uma que eu teria interesse em ver. Abdu Conte a jogar onde jogou o Borja. Há ainda o B. Gaspar que eu acho que pode fazer de central do lado direito desde que esteja Coates e Mathieu, desempenhando o papel que eu disse que Borja terá de desempenhar.

Para as alas claro…Borja pode fazer toda a ala como Acuna e até Jefferson ganha outro enquadramento, uma vez que passa a ser um sistema mais ao seu jeito. Do lado direito o B. Gaspar definitivamente não tem velocidade para isto por isso não hesitaria a chamar Thierry. Também ele beneficiaria da sua maior deficiência ser a defender. Para alternativa à dupla de médios centro Gudelj e Wendel temos M. Luis e Doumbia. Para alternativas à dupla que joga atrás do PL B. Fernandes e Diaby temos Raphinha, Jovane e Geraldes. Para Dost temos LP. Ou seja, tudo na mesma. Temos alternativas para todos os lugares e mesmo para estas alternativas, o novo sistema parece resguardá-los dos seus maiores defeitos.

E para Villareal?! Eu por mim isto é para levar até ao fim. E por isso ia com:
Renan (Já não digo nada…vai até ao fim por isso mais vale resignar-me).
Ilori, Coates, Borja (se Mathieu continua de fora)
Risto, Gudelj, M. Luis (não havendo Wendell…ou não estando a 200%), Jefferson (N/A Acuna)
Raphinha e B. Fernandes
Dost.

E para a Madeira?
Renan
Ilori, Coates e Borja
Thierry, Doumbia, Wendel (se já estiver bom…se não, B. Fernandes), Acuna
Diaby e B. Fernandes (se não recuar…se recuar, Raphinha)
L. P.

No final deste testamento…será que o Keizer é capaz de meter isto a funcionar ou é novamente só o fogacho da novidade e depois não tem mais nada a acrescentar? Ou será mesmo que foi apenas para este jogo e um ou outro e não vai haver nada disto como sistema base? A ver vamos! Eu gostava que ele seguisse este caminho…

ESTE POST É DA AUTORIA DE… Tiago Coração de Leão
*às quartas, a cozinha da Tasca abre-se a todos os que a frequentam. Para te candidatares a servir estes Leões, basta estares preparado para as palmas ou para as cuspidelas. E enviares um e-mail com o teu texto para atascadocherba@gmail.com