Antes de escrever este texto ponderei sobre vários aspetos. Primeiro, a minha “autoridade” para tratar deste tema. Segundo, o contexto em que o mesmo é escrito, e o que me levou a escrevê-lo. Terceiro, o olhar de desilusão e tristeza numa criança.

Antes de mais, acho a minha “autoridade para tratar deste é tema altamente discutível. E totalmente parcial. Sou Sportinguista totalmente, para o bem e para o mal. Detesto ver o Clube no estado em que está. Mas vejo, sempre vi, além do futebol… aliás do futebol só veio uma coisa boa, que foi o rugby… e há mais de 100 anos. De lá para cá… bem é o que temos. O ser pai de um atleta não devia entrar aqui ao barulho, mas infelizmente tem que entrar.

E já entramos no contexto. O Clube está em Guerra Civil, e não há ainda guera aberta porque tem havido ainda alguns restos de contenção. Por quanto tempo mais, não sei. O que sei é que falta um fósforo arder para arder tudo… este é o contexto em que escrevo.

Passando ao tema: no dia 15/11 comemorou-se o Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa. Foi este o dia em que foi reconhecida em Assembleia da República a LGP como parte fundamental no acesso ao Ensino, à Cultura e à Informação da comunidade surda portuguesa, que conta com cerca de 100.000 indivíduos.

Quase todos os anos, eu falo com o Sporting, seja através da nossa Fundação, ou através do Gabinete Paralímpico para fazermos algo para comemorar este dia, que é tão importante para tantos sportinguistas e portugueses. Este ano foi-me dito que seria difícil fazer algo em especial, então eu e o meu mini rugbier residente fizemos um curto filme, e promovi esse filme em várias plataformas associadas ao Sporting e a Associações de Surdos, e também a nível internacional, como a World Deaf Rugby.

Mais tarde soube que o Sporting iria fazer também um pequeno video, com alguns alunos surdos, entre os quais estava o meu filho.

Quando esse vídeo surgiu nas redes sociais, foi uma vergonha. Não havia UM comentário a louvar a iniciativa, UM!

Havia ofensas gratuitas, de rabolhos para baixo, de um lado ao outro. E eu só vi o olhar do meu filho, a ler aquilo, a sentir tudo aquilo. É que o puto é atleta do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, caraças! Ele é surdo, e vê uma iniciativa do Clube a comemorar uma data tão importante para ele e para os seus amigos a ser enxovalhada dessa maneira. Com que direito?

O direito a uma liberdade de expressão que permite que esta manhã, quando chegar na escola, os amigos e colegas, uns que participaram no video, e outros não, falem sobre a vergonha que são alguns adeptos deste clube? Com que direito acham esses senhores que podem colocar em causa a imagem do Sporting Clube de Portugal com as suas atoardas e más criações? Uma tristeza imensa, desde sexta-feira.

Admirem-se então que algumas destas crianças deixem de gostar do Sporting, os seus pais e filhos, família e amigos. O Footbaal Club de Portugal cada vez melhor, e mais só.

ESTE POST É DA AUTORIA DE… O Escondidnho do Leão
*às quartas, a cozinha da Tasca abre-se a todos os que a frequentam. Para te candidatares a servir estes Leões, basta estares preparado para as palmas ou para as cuspidelas. E enviares um e-mail com o teu texto para atascadocherba@gmail.com