A entrevista/conversa de Frederico Varandas ao Canal11 foi sem dúvida, para quem as ainda tivesse, um desfilar de frases soltas quase todas sem nexo, carregadas de contradições, omissões em barda, misturadas com outras frases decoradas com dicas de Salgado Zenha, o que no seu conjunto transformaram a conversa num emaranhado de “factos alternativos” e muita falta de noção.

Mas o que lhe falta em noção, sobra-lhe em fé, pois como disse “Ruben Amorim em 3 ou 4 anos estará num grande da Europa” e que nem é preciso ganhar para tal acontecer pois “o Leonardo Jardim também não ganhou”.

Diz isto com um sorriso infantil e despropositado, ao mesmo tempo que achincalha o Clube que preside. Na minha opinião fá-lo com o propósito de afastar os últimos vislumbres de orgulho Sportinguista que nos restam, a nós Sócios e Adeptos.

A frase que “todos na Academia deviam de ver o Thierry Correia como exemplo de sucesso, pois, fez 5 jogos e foi vendido a um grande da Europa” ficaria ajustada se o Sporting não fosse um Clube que compete para ganhar. Formadores? Sim, mas para jogarem na nossa equipa principal para ganharmos títulos. Não para alimentar carrosséis. Somos um Clube, não somos uma sucursal de uma Agência de Representação.

Outra frase assassina do Sportinguismo de Frederico Varandas foi “que não quer jogadores que achem que assinar pelo Sporting é o auge”. Pois nós Sportinguistas queremos, queremos muito desses jogadores, que queiram ficar muitos anos no Sporting, e que o orgulho máximo seja vestir a verde-e-branca listada e não a de um Wolves ou Mónaco qualquer!

Queremos jogadores que fiquem “lixados da vida” se estiverem na lista para serem vendidos ou dispensados. Queremos ver mentalidade de campeão, tal como se vê no Last Dance da Netflix acerca da equipa dos Chicago Bulls. Queremos ver jogadores da estirpe de Scottie Pippen que ficou “ofendido” por o Diretor Geral coloca-lo como transferível, ou como Michael Jordan queria continuar a jogar com aquela camisola, com aquele treinador, com aqueles colegas. Queriam continuar a ganhar campeonatos. É isto que queremos e gostávamos de ver, mas pelos vistos Frederico Varandas não.

Repararam que Frederico Varandas não disse uma única a palavra “ganhar”? Não disse que “vamos lutar”? Nem mesmo quando o jornalista lhe perguntou se “vai fazer mais com menos?” foi capaz de dizer “sim”? Para ele, basta-lhe “ir à Champions até 2022”, ou seja, a sua ambição é ficar em terceiro lugar para ir passear os “miúdos”, como se referiu dezenas de vezes aos jogadores da formação, e assim, colocá-los na montra.

Em resumo, formar para vender, jogar para ir à Champions, eis Frederico Varandas, o Presidente Caixeiro Viajante.

ESTE POST É DA AUTORIA DE… Nuno Sousa
a cozinha da Tasca está sempre aberta a todos os que a frequentam. Para te candidatares a servir estes Leões, basta estares preparado para as palmas ou para as cuspidelas. E enviares um e-mail com o teu texto para atascadocherba@gmail.com