Categoria

doce da casa

Eu voto “Não!” à expulsão

E antes de explicar-vos o porquê do meu voto, não queria deixar de dizer-vos, antecipadamente, que podem colocar as vossas etiquetagens no real olho traseiro. Estou cansado, efectivamente cansado desta estupidez assente em dois momentos básicos e desprovidos de qualquer… Ler mais →

j’AMOR

E é quando penso que o abraço terminou, que te sinto mais presa a mim… Já se passaram alguns dias. Nas horas que se seguiram, continuaste a cantar noite fora. Experimentaste fazê-lo sob um túnel e percebeste que não é… Ler mais →

O meu Sporting sabe a bolas de berlim e a pastilhas de alcatrão

“Vais levar o equipamento do Sporting, pai?” «Talvez. Decido mais logo» “Vai ser bué da fixe!” Este “vai ser bué da fixe!” refere-se ao treino. Um treino diferente, que assinala o Dia do Pai, convidando o progenitores a partilharem um… Ler mais →

Andebol Z – é uma força brutal!

Ao tempo que a nossa equipa merecia uma homenagem destas. E hoje, dia de jogo grande na Champions, é dia de fazê-la e de dizer bem alto que, independentemente do resultado desta tarde, vocês ganharam direito a estes elogios para… Ler mais →

O Sporting é uma canção dos Linda Martini

O peso que arrasto tem juros de mora… O peso que arrasto tem juros de mora… O peso que arrasto tem juros de mora… O peso que arrasto tem… A voz vai baixando de tom. As guitarras calaram a fúria…. Ler mais →

Um conto de Natal à moda da Tasca

«Olha o Tiago!». A minha mulher é a primeira a vê-lo, ali no Largo de Sta Maria, onde arde uma belíssima fogueira de Natal, daquelas que só ardem em terras como Celorico da Beira. Chegámos tarde. Ou melhor, cerca de… Ler mais →

E no fim perde o Sporting…

Quase sem darmos por isso, passaram cinco anos. Cinco anos desde que nos mudámos para esta casa a quem, em conjunto, demos um nome. Não houve festa, é verdade, mas houve tempo para fazer um balanço ao fim de dez… Ler mais →

Uma história de amor chamada João Rocha

E quando dás por ti, estás de pé. Tu e todos os outros. Mesmo aqueles que sofrem em silêncio, roendo unhas, cruzando pernas, contraindo os músculos, como se aquele ritual fosse uma prova de fé que deve ser ultrapassada interiormente… Ler mais →

Naquela tarde de 1989…

… eu tinha 12 anos e vivia os primeiros dias de um novo ano lectivo, de uma nova escola, de um novo mundo longe da preparatória ao lado de casa. Nesse arranque de 7º ano, aproveitando para encontrar nos intervalos… Ler mais →

Para que nunca te esqueças do que é o Sporting, meu amor

Não sei quando irás ler este texto. Provavelmente quando deixares de achar que os textos que o pai escreve são gigantes e que os teus nove anos acabados de fazer não têm pausas suficientes para tanta letra. Afinal, a Tasca… Ler mais →

© 2019 A Tasca do Cherba — Powered by WordPress

Desenvolvido por Anders NorenCima ↑