Sejam [email protected] à gala da 1ª edição dos Canecos D’Ouro, prémios organizados pela Tasca que se destinam a destacar aqueles que, por escolha exclusiva dos adeptos, ajudaram a abrilhantar a história do Sporting Clube de Portugal ao longo do último ano.

Desde já pedimos desculpa pela ligeira demora no arranque da cerimónia, mas a tentativa de alguns convidados beberem cerveja pelos Canecos que serão entregues aos vencedores obrigou a alguns movimentos logísticos inesperados…

Iniciamos este sunset com a entrega do Caneco Carreira. Chegou a Tóquio2020 como vice-campeão do mundo nos 50 quilómetros marchada distância, e terminou a participação nos Jogos Olímpicos com o tempo de 03:51.28 horas, o seu melhor registo da temporada, a 01.20 minutos do novo campeão olímpico, o polaco Dawid Tomala. O atleta do Sporting conseguiu a sua melhor classificação em seis presenças em Jogos Olímpicos, melhorando o 10.º lugar nos 20 quilómetros marcha de Atenas2004, tendo também concluído pela primeira vez a mais longa distância percorrida em provas olímpicas, à terceira tentativa. “Foi bom, arrisquei e saiu o quinto lugar, estou contente. É o topo da carreira. Apesar de não ter sido uma medalha, um quinto lugar é muito bom, depois da medalha de vice-campeão, só tenho de estar satisfeito”, assumiu o marchador, que soma 59 títulos nacionais absolutos na especialidade. Falamos de João Vieira, extraordinário atleta que merece esta distinção, a única não sujeita a votação.

E porque de feitos extraordinários falamos, avançamos para a entrega do Caneco Atleta do Ano, categoria onde a escolha era tremendamente complicada. Gonzalo Romero (hóquei em patins), Jorge Fonseca (judo), Pany Varela (futsal), Patrícia Mamona (atletismo), Sebastian Coates (futebol) e o jovem Vicente Pereira (natação), eram os nomeados e a votação esteve muito equilibrada durante os primeiros dias. Depois, o campeão do mundo e medalha de bronze nos Jogos Olímpicos, Jorge Fonseca, deitou os adversários ao tapete e ensaiou a sua famosa dança ao som do ippon!

[email protected] atleta do ano para o Caneco Equipa do Ano, prémio para o qual estavam nomeadas Atletismo feminino, Basquetebol masculino, Futebol masculino, Futsal masculino, Goalball feminino, Hóquei em Patins masculino e Rugby Feminino. A grande dúvida que se colocava, era se a máquina futsal iria conseguir superar as emoções trazidas pela conquista do tão ansiado campeonato nacional de futebol, mas os adeptos (na sua maioria) não hesitaram: a equipa vencedora é a equipa de futebol masculino!

À frente de uma grande equipa está, normalmente, um grande treinador. Passamos, assim, ao Caneco Estratega do Ano, para o qual estavam nomeados Luís Magalhães (basquetebol), Márcia Ferreira (goalball), Nuno Dias (futsal), Paulo Freitas (hóquei em patins) e Rúben Amorim (futebol). Nuno Dias recebeu o reconhecimento por dezenas de votantes, mas Ruben Amorim é o grande vencedor desta categoria!

Abrimos agora espaço para uns Canecos surpresa, que irão premiar [email protected] Nesta primeira edição dos prémios da Tasca existem duas categorias, ficando a promessa de que, dentro de um ano, serão pelo menos o dobro. Avançamos então para a primeira, o Caneco [email protected] do Ano, que irá ser entregue a alguém que tem mostrado brio e resiliência na manutenção de uma crónica semanal, ainda para mais lutando pelo reconhecimento de uma equipa e uma modalidade sobre a qual as luzes dos holofotes incide menos. Chamamos ao balcão… Adrien S!

Este número musical não estava previsto, mas é um momento que marcará esta primeira edição dos Canecos. E por falar em deixar marca, segue-se o Caneco [email protected] Vintage, que passará a ser entregue a quem já entra por esta porta há vários anos, fazendo-o de forma a engrandecer a Tasca e todos os que a frequentam. Chamamos ao balcão… Max Martins!

Do individual para a todo, ou porque juntos somos mais fortes, o Caneco Projecto Não Oficial, porque os adeptos são capazes de fazer coisas incríveis pelo seu Sporting ou por outros Sportinguistas. As memórias leoninas do Joker77, Missão Matilde, Os retratos do Pedro Serranho, O Sporting Delas e o Sporting 160, estavam na disputa por um prémio que ficou decidido a partir do momento em que Mariana, Pedro e João, os rostos do Sporting 160, pediram à gerência para canalizar os seus votos para a Tasca Solidária apelidada de Missão Matilde!

Se a Missão Matilde nos revelou uma Sportinguista que, apoiada pela sua mãe, não hesita em ultrapassar obstáculos, o próximo Caneco vai revelar-nos quem foi a Revelação em 2021. Joaninha Martins (futebol), Kiko (andebol), Nuno Mendes (futebol), Vicente Pereira (natação) e Zicky (futsal), eram os nomeados, mas o pivot matador não deu hipóteses à concorrência! O vencedor é… Ziiicky!

Não sabemos se Zicky chegará a capitanear a equipa de futsal, quando João Matos resolver ser adjunto oficial de Nuno Dias, mas sabemos quem estava nomeado para o Caneco Dá-me a Tua Braçadeira: Ângelo Girão (hóquei em patins), Daniela Loureiro (voleibol), Isabel Ozório (rugby), João Matos (futsal) e Sebastian Coates (futebol). Como seria de prever, esta foi uma categoria disputada quase voto a voto, com João Matos a fazer sobre ao gigante Seba Coates, que arrecadou o Caneco por uma diferença de oito votos.

E para fecharmos esta noite em beleza, vamos entregar o Caneco “O Palhinha é Giro”, prémio inventado pelo Ugarte durante um ADN Sporting, e que visa destacar os mais bonitos que envergam a verde e branca. Esta categoria inclui dois canecos, um para o Leão e outro para a Leoa, e tinha como [email protected] Ana Freire (rugby), Brenda Perez (futebol), Patrícia Mamona (atletismo), Ângelo Girão (hóquei em patins), João Matos (futsal) e Pedro Porro (futebol). Nos homens, Girão surpreendeu o favorito Pedro Porro e nas mulheres… dois votos, repito, dois votos separaram Brenza Perez e Patrícia Mamona, com a vitória a sorrir à nossa campeã do triplo salto!

Agradeço a todos os que votaram e a todos os que, ao longo de 2021, ajudaram a engrandecer ainda mais a história do Sporting Clube de Portugal! Não será fácil entregar os prémios aos vencedores, exceptuando os Tasqueiros, pois se existiu uma indicação interna para que os atletas não divulgassem esta iniciativa, por certo será complicado haver abertura para a entrega dos Canecos… mas cá estamos para tentar!

Que 2022 nos traga tantos ou mais motivos para sorrir, que continue a ver-vos a [email protected] por aqui ou nos próximos encontros da Tasca e que, em conjunto, mesmo com divergências de pensamento, continuemos a fazer o que pudermos pelo nosso Sporting!